quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Entrevista: Flávia Viana

Intensa e apaixonada, ex-BBB dedica-se à televisão, ao teatro e à filha de 8 anos

Responda a pergunta: os reality shows servem para catapultar artistas para as produções da televisão brasileira, certo ou errado? Errado. Embora muitos participantes consigam permanecer no hall das estrelas, poucos são os que nasceram para atuar. Flávia Viana, que participou do “Big Brother Brasil 7”, da Globo, correu atrás do seu sonho. “Com açúcar, com afeto”, ela conquistou um lugar na minissérie “Eh Com VC”, da OITV, já fez alguns trabalhos depois do reality da Globo e resguarda sua intimidade, para evitar uma superexposição da filha de 8 anos.

Você está na série “Eh com VC!”, da OITV. Como tem sido a experiência?
Eu amei fazer parte da minissérie. Tive sorte em ter uma equipe maravilhosa por trás das câmeras, desde a direção até a produção. Aprendi muito com cada um.

Como surgiu o convite?
Uma grande amiga (Flávia Mesquita) me falou do teste e do projeto. Fiz o teste para a personagem Paulinha e, depois, recebi a resposta que iria interpretar a Ké. Foi um presente!

Como é a Ké? Ela tem algo de Flávia Viana?
A Ké é uma professora de ioga, melhor amiga da Paulinha, e muito conselheira. Ela está sempre ajudando a amiga a sair das confusões do dia a dia, mas também está em busca de seu equilíbrio. E ela tem um pouco de mim, sim. Também sou meio “mãezona” das minhas amigas, só não tenho, ainda, o dom para a ioga, mas chego lá (risos).

É a sua primeira incursão na teledramaturgia?
Fiz uma participação especial em “Cinquentinha” (2009), da Globo. Lá, contracenei com Susana Vieira e Ernesto Piccolo, dois veteranos incríveis, e tive Wolf Maya como diretor.

Você está com algum projeto para a TV aberta?
Tenho uma paixão por televisão, mas não tenho nada em vista. Acabei de fazer um musical infantil em São Paulo chamado "O Grande Reciclador".

De todos os casais que se formaram no “BBB”, você e Fernando Justin eram os que haviam dado mais certo. O que aconteceu?
Somos seres humanos, como qualquer outro, e estamos sujeitos a rir e a chorar. Todo casamento passa por momentos delicados, o meu não foi diferente. Mas é vivendo e aprendendo. Aprendi a resguardar minha vida pessoal, não expor, afinal, tenho uma filha de 8 anos que merece viver sem toda essa exposição. Deus sabe o que faz.

Nem todo mundo que integrou o reality show está na mídia. Você acha que foi falta de oportunidade ou de perseverança?
O sol brilha para todos. Basta saber o que quer, qual sua vocação verdadeira, seu sonho, o que você ama fazer etc. O importante é saber que o “BBB” não é um curso que forma artistas; é um jogo que vale R$ 1 milhão. Se quiser seguir qualquer profissão, artística ou não, tem que estudar muito, se dedicar e ter humildade.

Quais seus conselhos para quem pretende entrar num reality show?
Fé em Deus e pé na tábua. Faça o que manda seu coração sempre, siga seus princípios. É errando que se aprende. O importante é não ter medo, “viver e não ter a vergonha de ser feliz”.

Você desfilará no Carnaval no ano que vem?
Amo dançar, amo o samba. Já fui rainha de bateria em 2008, mas, desde então, não saí mais na avenida. Vou sempre curtir Salvador, na Bahia.

Conhece Minas Gerais? Tem alguma lembrança do Estado?
Gente, eu morei dos 7 aos 13 anos em Três Pontas, no interior de Minas. Meu pai é mineirinho e mora lá até hoje. Tenho sangue de mineirinha, uai (risos). Tenho muitos parentes espalhados por Minas Gerais, esse Estado que amo.

Fonte: O Tempo

Um comentário:

Anônimo disse...

Familia,união , oração e fé.DEUS,é amor,tudo isso acontece por amor,o resto é consequência.bjs!